quarta-feira, 27 de abril de 2011

Monumento aos Açorianos




Aqui está o Monumento aos Açorianos, localizado na cidade Porto Alegre/RS. Fiz esta antes/depois com o Photoshop CS5. Esta nova versão da Adobe tráz ferramentas incríveis para serem utilizadas neste tipo de trabalho.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Sony lança tablet compatível com PlayStation.





A japonesa Sony apresentou nesta terça-feira (26), em Tóquio, dois tablets com o sistema operacional Android 3.0 (Honeycomb), do Google. Chamados de "S1" e "S2", os aparelhos são compatíveis com os games do console PlayStation.

O modelo S1 tem tela de 9,4 polegadas, duas câmeras de vídeo (frontal e traseira), acesso à rede wi-fi e é compatível com redes móveis 3G e 4G. O aparelho também possui um design curvo que, conforme a Sony, é mais fácil de segurar.

O tablet S2, que se dobra em dois e pode ser guardado no bolso, é maior que um smartphone, mas menor que o iPad. O S2 tem duas telas táteis de 5,5 polegadas cada uma. "O S2 é particularmente pertinente para a leitura de livros digitais, cujo conteúdo é visualizado nas telas como se fossem duas páginas", explicou o diretor da Sony, Kunimasa Suzuki.

Conforme Suzuki, os tablets contarão ainda com um serviço de conteúdo on-line acessível de forma rápida para comprar e fazer downloads de vídeos e músicas. Os novos tablets, que tentam competir com o iPad, da Apple, devem chegar ao mercado a partir do outono no hemisfério norte (final de setembro).

Segundo estimou o grupo de pesquisa Gartner, as vendas de tablets devem quadruplicar, para cerca de 294 milhões de unidades, entre 2011 e 2015, e metade desse total deve ser composto por aparelhos acionados pelo Android.

sábado, 16 de abril de 2011

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Apple e Foxconn vão produzir iPad no Brasil

Apple e Foxconn vão produzir iPad no Brasil, segundo ministro. Redução de preço depende de mudanças em regras de tributação.

A Foxconn, empresa que fabrica o tablet iPad em regime de terceirização para a norte-americana Apple, deve iniciar a montagem do aparelho no Brasil a partir de novembro. A informação foi dada nesta terça-feira (12) pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, que acompanha a presidente Dilma Rousseff na China.

A novidade pode baratear e ajudar a reduzir o tempo de espera pelo produto no país, mas ainda há muitas indefinições a respeito. Procuradas pelo G1, nem a Apple nem a Foxconn comentaram o assunto.

Além das definições da fabricante, o “futuro” do iPad no Brasil depende de alterações nas regras de tributação. O Ministério do Desenvolvimento realiza até sexta-feira (15) uma consulta pública sobre as condições para a inclusão dos tablets (microcomputadores portáteis sem teclado e com tela sensível ao toque) no Processo Produtivo Básico (PPB), o que possibilitaria a redução de impostos do equipamento.

O Ministério das Comunicações, que solicitou a consulta pública, estima que, com a inclusão no PPB, os tablets terão redução de até 31% nos preços na comparação com os importados, já que o IPI cairia de 15% para 3% e o ICMS, caso a produção seja em São Paulo, de 18% para 7%.

Outra possibilidade é a inclusão dos tablets na lei 11.196, originada pela MP do Bem, que isenta de PIS e Cofins a venda de computadores e modems até o fim de 2014. O Ministério da Fazenda, que decide questões de desoneração, informou que não apresenta temas ainda em discussão e que não há nada formalizado sobre o assunto.

O G1 ouviu especialistas para responder a questões sobre o assunto.

- Fabricado no Brasil, o iPad vai ficar mais barato?
Segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), se o Congresso Nacional aprovar a inclusão dos tablets na Lei da Informática e na MP do Bem, o iPad pode ficar cerca de 30% mais barato no Brasil.

- Vai ficar mais barato do que comprar do exterior?
A importação deixa o produto mais caro, conforme a Abinee. Por isso, se houver a aprovação dos incentivos, valerá mais a pena para o brasileiro comprar o iPad no Brasil. Segundo Benjamin Sicsú, vice-presidente de novos negócios da Samsung, a lógica é que o produto fabricado no Brasil seja mais barato que o produto importado. “Se um brasileiro for comprar o tablet no exterior ou por um site de venda on-line, ele vai gastar mais (por conta dos impostos de importação)”, afirma Sicsú. “Os incentivos fazem com que o custo de produzir no Brasil seja menor que a importação”, completou.

Se o consumidor comprar o tablet no exterior e trouxer para o Brasil, há a incidência de 50% de Imposto de Importação no que exceder o valor de US$ 500 (ex: se o produto custa US$ 700, haverá incidência de 50% do imposto sobre US$ 200), explica o advogado tributarista André Mendes Moreira, do escritório Sacha Calmon.
Com a produção no Brasil, pode ser que haja a venda, por parte das operadoras, do aparelho junto com o plano de serviço de transmissão de dados da telefonia móvel. Nesse caso, as operadoras podem dar descontos no valor do equipamento.

- E os concorrentes, vão ficar mais baratos?
Se for aprovado o acordo para que o tablet seja classificado como computador, haverá uma série de isenções fiscais para a fabricação do produto no Brasil, como já existe para os computadores pessoais. Nesse caso, o benefício não será somente para o iPad, mas sim para todos os tablets produzidos no Brasil, segundo o advogado.

Com isso, os concorrentes também receberão os incentivos e, portanto, ficarão mais baratos, afirmou a Abinee. Hoje, já existe um tablet fabricado no Brasil: o Galaxy Tab de 7 polegadas, da Samsung. Conforme Sicsú, o aparelho foi enquadrado pelo governo como celular. Porém, a Samsung irá lançar, a partir de junho, outros dois tablets, de 8,9 e 10,1 polegadas. A Motorola anunciou nesta terça-feira (12), o Xoom, que também é fabricado no Brasil e busca os incentivos. Por enquanto, o governo enquadrou os tablets na mesma definição do Palm Pad, afirmou Sicsú, o que não os qualifica para as isenções fiscais.

- As peças serão importadas?
A princípio, os iPads serão apenas montados no Brasil, com peças importadas, segundo o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante.

“A informação que temos é que a Foxconn também trará uma fábrica de componentes”, afirmou a Abinee. Porém, conforme a associação, o Brasil ainda não tem fábricas de chips para computadores. “O país ainda não possui produção da maioria dos componentes centrais de um tablet, como display”, afirmou Sicsú.

- Quanto tempo leva para as peças chegarem ao Brasil? Como chegam?

Conforme a Abinee, depende da empresa e dos fornecedores. “Os lançamentos da Apple no Brasil sempre chegam mais atrasados por causa dos processos de contratos e de negociações”, afirmou a associação. “O tempo que leva um componente para chegar ao Brasil depende da logística que é utilizada. Produtos mais singelos, como celulares, podem vir ao país de avião e leva cerca de três dias. Já aparelhos maiores, como televisores, levam, em média, dois meses de navio”, afirmou Sicsú.

- A qualidade do produto será a mesma?
Segundo a Abinee, o iPad fabricado aqui deverá ter a mesma qualidade. “Os aparelhos produzidos na indústria brasileira têm a mesma qualidade e especificações técnicas e seguem a tecnologia existente no mundo. As empresas são transnacionais e o plano de fabricação de produção é igual”, disse a associação.

Sicsú vê vantagens qualitativas na produção nacional: “quando o produto é importado, ele pode ter alguma especificação referente ao país de onde veio. Por exemplo, uma televisão comprada nos EUA virá com sistema de transmissão para os EUA. Por isso, o produto importado pode gerar complicações”, explica.

- O iPad nacional terá a inscrição “made in Brazil”?
Isso depende do segredo industrial de cada empresa, diz a Abinee. Já Benjamin Sicsú afirma que todo produto fabricado no Brasil precisa estar identificado como “Made in Brazil”. “A marca leva informação aos consumidores. É preciso saber onde o produto foi feito no caso de defeito, quebra, troca e garantia. Um produto importado nem sempre consegue atender esse tipo de serviço”, afirma.

Montados na China, os iPads hoje trazem a inscrição “Designed in California. Assembled in China” (Projetado na Califórnia. Montado na China).

- Para qual mercado irão os iPads feitos aqui?
Por enquanto, a produção de iPads no Brasil deve atender apenas à demanda interna. Dependendo da capacidade e extensão da produção, os produtos poderão ser exportados, afirmou a Abinee.

É o que ocorre com os produtos de outros fabricantes. “Às vezes, nossos produtos são exportados para os países do Mercosul. Porém, nos últimos anos, eles começaram a investir também em produção local”, explica Sicsú. Conforme Sergio Burniac, executivo da Motorola, a companhia estuda a possibilidade de exportar o tablet Xoom fabricado aqui para outros países da América Latina. Porém, no início, a produção atenderá apenas o mercado brasileiro.

- Compensa fabricar no Brasil?
Segundo André Moreira, provavelmente compensa. “Há um mercado consumidor bastante considerável carente desse produto e, em termos tributários, desde que o tablet seja enquadrado nos benefícios do computador, há vantagens”.

Para a Apple/Foxconn, vai compensar para atender melhor o mercado interno, afirma a Abinee. Além disso, a associação diz que a companhia de Steve Jobs poderá formar uma base para exportar produtos para os países vizinhos. “Porém, o mercado é ainda virgem, está recém começando o processo de produção”, completou.

- O que a Foxconn/Apple ganha montando o iPad no Brasil?
Além de ficar livre do Imposto de Importação, há incentivos para a fabricação no país por meio de isenção de tributos. Além disso, quando os investimentos são muito elevados, não é incomum que estados e municípios onde a fábrica será instalada ofereçam incentivos como doação de terreno, além das isenções de impostos, aponta o advogado.

No caso do município, os tributos são o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) e o Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). Os benefícios que podem ser concedidos entram nas chamadas isenções condicionais por prazo certo, nas quais o município cria um acordo para que a fábrica se comprometa a investir determinado valor e criar certo número de empregos em troca dos benefícios. O ISSQN, por exemplo, que é cobrado das prestadoras de serviços da fábrica e é de 5%, pode chegar a 2%, reduzindo o custo da contratação do serviço.

Para a Abinee, a Apple também ganha ao atender melhor o mercado brasileiro, que está em expansão. “Na hora da manutenção, por exemplo, o consumidor conseguirá encontrar peças mais facilmente”, afirma Sicsú.

- Em que fase está o processo para que os tablets possam se beneficiar dos incentivos fiscais?
“A nossa expectativa é que o mais tardar em 120 dias a gente possa estar com essa parte da legislação devidamente equacionada. Esse é um projeto prioritário da presidente Dilma”, afirmou a Abinee. Conforme a associação, as manifestações do Congresso Nacional devem definir em algumas semanas se o tablet vai receber os benefícios do MP do Bem.

Fonte: http://g1.globo.com/economia/noticia/2011/04/veja-perguntas-e-respostas-sobre-o-acordo-para-produzir-o-ipad-no-brasil.html

Sensualidade Vintage

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Fusca em HDR




Usando alguns simples ajustes de HDR conseguimos dar estes dois efeitos super bacanas no fusca. Ficou muito especial este dois tipos de cores. Experimentem, pois as possibilidades são muitas e os comandos são simples.

Apple Confirma Falha no iPad2



A Apple confirmou uma falha no funcionamento do iPad 2 que causaria, segundo o jornalWall Street Joutnal, problemas de conectividade no aparelho vendido pela Verizon.

A companhia, contudo, não informou ao certo qual é o problema. Em nota, o jornal afirma que a Apple reconhece que um pequeno número de tablets vendidos pela Verizon têm tido dificuldades para acessar a internet 3G e que investiga a questão.

O iPad 2 começou a ser vendido, nos EUA, no dia 11 de março e em outros 25 países no dia 25 domesmo mês.

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI5069095-EI12882,00-Apple+confirma+falha+no+recemlancado+iPad.html

sábado, 9 de abril de 2011

Notícia: Leilão de Obra de Arte




Pintura de locomotiva em tamanho real vai a leilão na Romênia. Trabalho de Alexandru Bunescu deve alcançar preço de até US$ 86 mil.

Organizadores do leilão dizem se tratar da maior obra de arte já leiloada. Pintura em tamanho real de uma locomotiva a vapor de 1889 é exibida em Bucareste, Romênia, nesta sexta-feira (8). A obra, de 20 metros de extensão e 4,5 de altura, foi criada por Alexandru Bunescu e deve ser leiloada na próxima semana por um preço de até US$ 86 mil. Os organizadores dizem que a pintura pode ser incluída no livro dos recordes como a maior obra de arte já leiloada. (Foto: AP) Fonte: http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2011/04/pintura-de-locomotiva-em-tamanho-real-vai-leilao.html

sexta-feira, 1 de abril de 2011

A Natureza faz design!




Árvore com 'imagem' de coelhinho no tronco chama atenção em Israel O tronco de uma árvore chamou atenção em Israel por causa da imagem curiosa que aparece na casca. Segundo o jornal inglês "Daily Telegraph", o tronco lembraria o coelhinho chamado "Tambor" do filme "Bambi", da Disney. um primeiro momento, o fotógrafo Valery Barash disse que pensou que a imagem tivesse sido esculpida por alguém, mas, após inspecionar mais de perto, ele disse ter ficado convencido de que foi a própria mãe natureza que a criou.